_________________________

"Sem dúvida, a Sociologia não valeria uma hora de trabalho... se não fosse para se atribuir a tarefa de restaurar às pessoas o significado de sua própria ação". [Pierre Bourdieu]
_________________________

10 de dezembro de 2016

[Sociologia da Educação II] Como educar na pós-modernidade?

Prezad@s,

Como combinado ontem, realizaremos, na próxima semana, em 16/12/2016, os seminários correspondentes ao tópico 4 do nosso curso, "Temas contemporâneos em Sociologia da Educação".

Lembro que os textos estão disponíveis no programa da disciplina.

E, em 23/12/2016, iniciaremos o tópico 5, "Educação e pós-modernidade: insumos para a reflexão".

Para esse dia, o texto indicado é "Cidades-totais: o (nada) sublime espaço pós-moderno", de minha autoria, que pode ser encontrado em  .

Aos interessados, segue também link de uma resenha sobre a obra publicada no Diário do Nordeste, pela jornalista Iracema Sales.

[Baseado no pensamento de Jameson, o sociólogo Marcos Marques consegue identificar a transição da modernidade para esse fase posterior – chamado por alguns teóricos de pós-modernidade –, tendo como uma das principais características a transformação da cultura em produtos, que circulam em um mercado sem o menor constrangimento. Pertinente a análise de Marcos Marques, uma vez que os primeiros estudos acerca da controversa “pós-modernidade” tiveram lugar na arquitetura].

#cidades-totais
#marcosmarques
#diariodonordeste
#fredericjameson
#slavojzizek
#miltonsantos
#pós-modernidade




25 de setembro de 2016

[Pré-Artigo] Plantas embaixo do Aquarius

Pense só um pouco,
Não há nada de novo.
Você vive insatisfeito
E não confia em ninguém.
E não acredita em nada.
E agora é só cansaço
E falta de vontade.
Mas, faça do bom-senso a nova ordem: 
Não deixe a guerra começar.

("Plantas embaixo do aquário", Legião Urbana)


Mas, o que é "Aquarius"?

Sem dúvida, um bom filme que narra um conflito entre dois tipos de elites: uma anacrônica, outra abominável.

Não é, portanto, uma película "social", como se poderia pensar após o (legítimo) protesto em Cannes.

Até porque a crítica à "gentrificação" e à lógica da especulação imobiliária não se pode deixar de fazer também aos governos que os gritos de #foratemer tendem a homenagear.

Os efeitos perversos da doença desenvolvimentista não se amenizam com "Minhas Casas, Minhas Vidas". Estas não freiam os desastres causados pelos desejos triplex de um sítio no campo. Que, detalhe, domina todos nós...

Para não falar das remoções olímpicas, que o vice mau peemedebianamente comeu. E também ficarei em silêncio sobre o eikeano Porto do Açu, os (des)iludidos do Comperj e, por fim, dos rios de grana que ergueram Belo Monte...

Sim, tirou bons contingentes da extrema pobreza, com políticas (de austeridade fiscal e focalização social) que antes rejeitava. Mas sem incremento significativo no que tange à desigualdade social. Mas também, como o próprio messias (só menor que Cristo, segundo o próprio) deste processo já disse, certas elites nunca ganharam tanto dinheiro. Inclusive certas elites partidárias...

O próprio lugar em que vi este interessante filme, o complexo agora denominado "Reserva Cultural", em Niterói (RJ), é um excelente exemplo - já que está é uma cidade governada por um petista que hoje tenta a releição travestido de verde. Isso que é golpe. Como o outro, dentro das regras...

Mas voltemos ao assunto.

Financiado com recursos públicos (R$ 12,3 milhões, declarados em Caixa 1), o antigo não realizado "Centro Petrobras de Cinema" é hoje um espaço de elite "intelectual" entregue à exploração da iniciativa privada. Claro, não é privatização. Apenas, como diria Cauby, "concessão".

Nada contra. Nem a favor. Apenas a constatação de que, para mim, a suposta luta política no Brasil permanece uma luta de elites. Entre uma esquerda anacrônica, porque - de alguma forma - aristocrática, e uma direita abominável, inclusive por ser - de alguma forma - miseramente populista. As duas essencialmente patrimonialistas e clientelistas.

Afinal, segundo eles, no Brasil só se faz política "assim"...

Mas "O som ao redor", do mesmo diretor (Kleber Mendonça Filho), por ter sido pioneiro no tema e cenário, é muito mais filme. Num tempo de filme, inclusive, bem menor e melhor. E, especialmente, por ter personagens mais complexos do que Clara, interpretada pela "niteroiense" Sonia Braga (estamos todos em casa!), protótipo da pequena burguesia que se acha revolucionária só porque é, romanticamente, anti-capitalista.

Enfim, nada dialética. Porque morre na simples antítese e, dessa forma, nunca faz a complexa síntese.

Essa pequena burguesia chauísta, formada (em parte ou em desejo) por concursados menos sofridos que os políticos desonestos (segundo o supracitado messias), que "odeia" a classe média, especialmente a que não vota, psolisticamente às vezes, como ela.

Odeia, inclusive, pelo fato de sê-la integralmente. Em corpo, alma e estética. Sempre presa/liberta no seu "Aquarius". Por isso, talvez, o grito de "fora", que surge sempre quando não está (mais) por dentro...

Marcos Marques

PS: E aqui, o melhor artigo que já li sobre o filme - "As barganhas de Clara".

21 de setembro de 2016

Cronograma dos próximos encontros [Sociologia da Educação II]



Pessoal,

Só para ajustar o calendário:

- 23/09 - Cine-Sociologia, com o filme "Lutero".

- 30/09 - Tópico 2: "A Sociologia da Educação no Brasil: os pioneiros e a Escola Paulista de Sociologia", tendo como texto-base o livro Florestan Fernandes, de minha autoria.

- 07/10 - Aula externa, com nossa participação no Seminário Conjuntura Costa Verde. É preciso inscrição prévia. Vejam o link.

- 14/10 - Cine-Sociologia, com o filme "Pensando com Florestan Fernandes".

Até lá!

Prof. Marcos Marques

4 de setembro de 2016

[Sociologia da Educação II] Pré-textos para 09/09/2016

Amig@s,

Iniciaremos nosso curso, na próxima sexta-feira, 09/09/2016, às 14h.

Além da apresentação do programa, peço atenção a três pequenos pré-textos para iniciarmos nossos debates:

- Bolsa família altera rotina de indígenas na região do Xingu, de Fabiano Maisonnave;

- Os métodos que dividem as águas no debate econômico, de Marcos Lisboa e Samuel Pessôa;

- Escola sem mordaça, de Gustavo Ioschpe.

Até lá!

Marcos Marques de Oliveira
Prof. de Sociologia da Educação do IEAR/UFF

3 de setembro de 2016

[Cinema e Política] Tópicos Especiais em Sociologia da Educação: dia e horário corretos

Prezad@s,

Por algum equívoco, a nossa disciplina optativa/eletiva deste semestre sobre "Cinema e Política" apareceu no sistema em dia errado.

O certo é sexta-feira, das 18h às 22h.

Quem ainda tiver interesse e disponibilidade, é só procurar a Secretaria no período de ajuste para fazer as inscrições.

Podem cursar alunos de Pedagogia, Geografia e Políticas Públicas.

Qualquer dúvida, ao dispor.

Att. Marcos Marques
Prof. de Sociologia da Educação

PS: Acesse aqui o programa.

11 de agosto de 2016

[21 anos sem Florestan Fernandes] Dossiê Revista Olhares Sociais



O novo número da Revista Olhares Sociais  apresenta o  Dossiê Florestan Fernandes – se não o maior cientista social brasileiro, certamente um dos mais prolíficos e mais fieis ao impulso critico original das Ciências Sociais – organizado pelo Professor Diogo Valença.

Uma bela homenagem neste momento em que lembramos os 21 anos de sua ausência.

Na edição, a nossa singela contribuição com o artigo "O Professor Florestan e a Constituinte: A Política como práxis Pedagógica".

Acesse aqui a edição completa.

2 de agosto de 2016

[Agenda] Disciplinas do 2º Semestre de 2016



Prezad@s,

Neste 2º Semestre de 2016, ficaremos novamente responsável pela disciplina obrigatória de Sociologia da Educação II, para o 3º Período do Curso de Pedagogia do IEAR/UFF, a ser oferecida no turno da tarde de sexta-feira.

E, ainda, pela disciplina optativa de Tópicos Especiais em Sociologia da Educação II (assim que ela aparecerá no IDUFF), e que terá o seguinte sub-título: Cinema e Política: fragmentos de um discurso sociológico para uma educação estética.

Esta optativa, que ocorrerá nas noites de sexta-feira, também poderá ser cursada como eletiva por alunos de Geografia e de Políticas Públicas do IEAR/UFF.

Em breve, os programas...

Até mais!

Marcos Marques de Oliveira
Prof. de Sociologia da Educação do IEAR/UFF

6 de junho de 2016

Próximos encontros [Revisado]

http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me4699.pdf

Prezad@s,

Dias 10/06 e 17/06, nossos encontros para debater o "Pensamento Educacional de Florestan Fernandes". Dica de leitura: "Florestan Fernandes".

Em 24/06, nossa primeira avaliação, em forma de Estudo Dirigido.

Em 01/07,  o debate sobre a Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu.

Em 08/07, apresentação dos seminários dos grupos 1 e 2, com base nos seguintes temas:

1. Contribuições de Florestan Fernandes ao estudo das culturas infantis

2. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão.

Em 15/07, a carga horária letiva será compensada com a participação de vocês na Semana Acadêmica do IEAR/UFF. Aguardem a programação completa.

E no dia 22/07, a vez dos seminários dos grupos 3 e 4:

3. Escolhas escolares e opções profissionais: entre a família, a escola e os amigos. Que papel desempenham os media?

4. O projeto político-pedagógico da terceira via. 

Att. Marcos Marques


[Sociologia da Educação II] Sobre pedagogia empresarial (ou o papel do pedagogo nas empresas)

Prezad@s,

Aos que solicitaram informação sobre a atuação de pedagogos nas empresas, deixo aqui a mensagem do especialista J. C. Libâneo:

Pedagogo é o profissional que atua em várias instâncias da prática educativa, direta ou indiretamente ligadas à organização e aos processos de transmissão e assimilação ativa de saberes e modos de ação, tendo em vista objetivos de formação histórica. Em outras palavras, pedagogo é um profissional que lida com fatos, estruturas, contextos, situações, referentes à prática educativa em suas várias modalidades e manifestações.”

Deduz-se, portanto, que a docência pode ser considerada a única especialização profissional dos que cursam Pedagogia. Nos diz Libâneo: “Todo trabalho docente é trabalho pedagógico, mas nem todo trabalho pedagógico é trabalho docente [...] A formação de educadores extrapola, pois, o âmbito escolar formal, abrangendo também esferas mais amplas da educação não-formal e informal”

Seguem algumas dicas de leitura:

1. Pequeno artigo sobre o tema "pedagogia nas empresas".

2. Um breve perfil sobre a atuação dos pedagogos em "espaços não-escolares".

3. Alguns sites que trazem vagas de estágio ou emprego: GIFE, Setor 3UOL e PCI

4. E, aqui, o perfil da carreira descrito pela Petrobrás.

Essas indicações podem servir, ainda, para o grupo que vai elaborar o seminário sobre o Tema 4 do nosso curso.

Att. Marcos Marques de Oliveira
Prof. de Sociologia da Educação II

18 de maio de 2016

[Sociologia da Educação II] Dados da Educação Brasileira

Prezad@s,

Dica de leitura para a próxima aula (03/06/2016):

Professor tem formação melhor na rede pública do que na particular
http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2016/05/1771352-professor-tem-formacao-melhor-na-rede-publica-do-que-na-particular.shtml

Lembramos que, por motivo de participação em evento acadêmico, não teremos nosso encontro do dia 20/06/2016.

Att. Marcos Marques
Prof. de Sociologia da Educação (IEAR/UFF)

3 de maio de 2016

[Sociologia da Educação II] Sugestões de leitura e vídeo

Prezad@s,

Para a nossa próxima aula, algumas dicas:

- Um dia para ser lembrado, artigo de Magali Cunha.

- Lutero, a versão atualizada do filme que iremos ver.

E a seguinte frase:

"O fluxo do devir incomensurável flui incessantemente ao infinito".

Max Weber

Até sexta!

Marcos Marques

29 de março de 2016

[EJA-PPP] Encontro final

Prezad@s,

Para confirmar o nosso encontro final das disciplinas de EJA e PPP-EJA, na próxima quinta-feira, 31/03/2016, às 15h, no IEAR/UFF.

Att. Marcos Marques

3 de março de 2016

[PPP-EJA] Entrega do relatório final

Prezados alunos de PPP-EJA,
Como combinado ontem, 17/03/2016, a entrega do Relatório Final de Estágio será, em 31/03/2016, das 14h às 15h.
Att. Marcos Marques

24 de fevereiro de 2016

Vaga de monitoria para as disciplinas de Sociologia da Educação (Edital 2016)

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO
DIVISÃO DE MONITORIA
EDITAL

1. DA IDENTIFICAÇÃO.
1.1 – UNIDADE: Instituto de Educação de Angra dos Reis.
1.2 – DEPARTAMENTO: Educação.
1.3 - TÍTULO DO PROJETO: Fundamentos Sociológicos da Educação (DEDP0001).
1.4 - Disciplinas vinculadas ao Projeto: Sociologia da Educação I; Sociologia da Educação II (Curso de Pedagogia).
1.5 - PROFESSORES ORIENTADORES: Marcos Marques de Oliveira e Elionaldo Fernandes Julião
1.6 - Número de vagas oferecidas: 1 (uma).

2. DAS INSCRIÇÕES.
2.1 - PERÍODO: 23/02/2016 a 01/03/2016.
2.2 - INSCRIÇÕES ON-LINE: sistemas.uff.br/monitoria.
2.3 - PRÉ-REQUISITOS: Ter cursado uma das disciplinas vinculadas ao projeto.

3. DOS DOCUMENTOS EXIGIDOS.
3.1 - Comprovante do cumprimento dos pré-requisitos.

4. DAS PROVAS.
4.1 - Data e HorárioS: 03/03/2016, às 14h (Prova escrita eliminatória) e 17h (Entrevistas).
4.2 - Local de realização: Departamento de Educação do IEAR.
4.3 - Ementa: O objetivo geral do projeto é o atendimento ao publico discente matriculado nas disciplinas Sociologia da Educação I e Sociologia da Educação II, destinadas aos alunos de Pedagogia do IEAR.
4.4 - Critérios de seleção: Atendimento às atribuições discentes do Programa de Monitoria da UFF, como consta do Anexo I da Instrução de Serviço nº 01/2015.
4.5 - Bibliografia indicada: ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. 4ª ed. SP: Martins Fontes, 1993. (Capítulo sobre "Émile Durkheim”).
4.6 - Nota mínima para aprovação: 7,00 (sete).
4.7 - Critérios de desempate: 1º) Melhor Coeficiente de Rendimento (CR); 2º) Estudante com maior idade.
4.8 - Instâncias de recurso: DED/IEAR. Prazo: até 72h após a divulgação do resultado.

5. DA ASSINATURA DO TERMO DE COMPROMISSO.
5.1 - Os candidatos classificados deverão comparecer à Secretaria do DED/IEAR após acessarem o Sistema de Monitoria, aceitarem a classificação na vaga e gerarem o Termo de Compromisso para procederem à assinatura do mesmo. Será considerado desistente o candidato que não comparecer no prazo de 1 (uma) semana após o aceite da vaga no Sistema.


Angra dos Reis, 23 de fevereiro de 2016.

11 de janeiro de 2016

[Educação do Campo] Veja para a próxima aula...

Edição do dia 10/01/2016 - GLOBO RURAL
10/01/2016 09h25 - Atualizado em 10/01/2016 09h52

Manejo da floresta garante produção sustentável de açaí no Pará

Ribeirinhos do Baixo Tocantins colhem o açaí dentro da Floresta Amazônica.
Região é a principal produtora da fruta no país.

6 de janeiro de 2016

Retorno às aulas

Prezados,

Só para confirmar a informação, já oferecida em sala, que retornaremos às aulas (de EJA, Educação do Campo e Sociologia da Educação II) na próxima semana.

Até lá!

Marcos Marques