_________________________

"Sem dúvida, a Sociologia não valeria uma hora de trabalho... se não fosse para se atribuir a tarefa de restaurar às pessoas o significado de sua própria ação". [Pierre Bourdieu]
_________________________

21 de outubro de 2011

Professor tem direitos?

19 de outubro de 2011

UFF cria o Programa de Produtos Estudantis

Prezad@s,

Veja no Boletim de Serviço 159-2011 da UFF o lançamento do Programa de Produtos Estudantis, que visa dar apoio aos estudantes regularmente inscritos nos cursos de graduação ou pós-graduação da UFF para desenvolverem relevantes produtos acadêmicos, artísticos ou culturais, por meio de concessão de bolsas estudantis, de aquisição de equipamentos e mobiliário a serem tombados pela UFF, de material de consumo e de contratação de serviços de pessoa jurídica, utilizando, conforme o caso, recursos do PNAES, do PDI, de livre ordenação da PROAES ou da PROPPi, ou outros recursos de custeio e capital disponíveis.

Att. Marcos Marques

18 de outubro de 2011

Campanha contra o fechamento das escolas rurais

CAMPANHA FECHAR ESCOLAS É CRIME!
Mais de 24 mil escolas do campo foram fechadas nos últimos oito anos

A Educação é um direito fundamental garantido pela Constituição Federal (Título II - Dos Direitos e Garantias Fundamentais, Capítulo III, seção I) - direito de todos e dever do Estado. Entretanto, nos últimos anos, milhares de crianças e adolescentes, filhos e filhas de camponeses, estão sendo privados deste direito.

Nos últimos oito anos, mais de 24 mil escolas do campo foram fechadas. Os dados do Censo Escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), do Ministério da Educação, apontam que, no meio rural, existiam 107.432 escolas em 2002. Já em 2009, o número de estabelecimentos de ensino reduziu para 83.036.

Para essas famílias camponesas, o anúncio do fechamento de uma escola na sua comunidade ou nas redondezas significa relegar seus filhos ao transporte escolar precarizado, às longas viagens diárias de ida e volta, saindo de madrugada e chegando no meio da tarde; à perda da convivência familiar, ao abandono da cultura do trabalho do campo e a tantos outros problemas.

O resultado comum desse processo é o abandono da escola, por grande parte daqueles levados do campo para estudar na cidade. É por essa razão que os níveis de escolaridade persistem muito baixos no campo brasileiro, em que pese tenha-se investido esforços e recursos para a universalização da educação básica.

Portanto, fechar uma escola do campo significa privar milhares de jovens de seu direito à escolarização, à formação como cidadãos e ao ensino que contemple e se dê em sua realidade e como parte de sua cultura. Num país de milhares de analfabetos, impedir por motivos econômicos ou administrativos o acesso dos jovens à escola é, sim, um crime!

A situação seria ainda mais grave não fosse a luta dos movimentos sociais do campo, por políticas de ampliação, recuperação, investimentos, formação de educadores e construção de escolas no campo. Importantes para reduzir a marcha do descaso dos gestores públicos para com os sujeitos do campo, mas insuficiente para garantir a universalização do acesso à educação no campo.

Denunciamos essa trágica realidade e conclamamos aos gestores públicos municipais, estaduais e federais que suspendam essa política excludente, revertendo o fechamento de escolas e ampliando o acesso á educação do campo e no campo. Conclamamos também a sociedade brasileira para que se manifeste em defesa do direito humano à educação, em defesa dos direitos das crianças, adolescentes e jovens do campo frequentarem a educação básica, no campo.

Defender as escolas do campo é uma obrigação, fechar escolas é um crime contra as futuras gerações e a própria sociedade!

Para assinar, clique aqui: http://www.petitiononline.com/camfeccr/petition.html

--
Att. Marcos Marques de Oliveira
Prof. Adj. de Sociologia da Educação
Chefe do Departamento de Educação
Instituto de Educação de Angra dos Reis / UFF
Pesquisador do NUFIPE (Núcleo de Estudos e
Pesquisas em Filsosfia, Política e Educação)

Contatos: marcos_marques@id.uff.br
http://sociologiadaeducacao-iear.blogspot.com
www.nufipeuff.br / www.uff.br

14 de outubro de 2011

Dia do Professor: Homenagem a Florestan Fernandes

No Dia do Professor (15 de Outubro), nossa homenagem a um dos nossos maiores mestres.


"Pensamos que este esboço remata a caracterização do que chamamos de 'dilema educacional brasileiro'. A relação entre meios e fins, no que concerne às perspectivas de controle dos problemas educacionais mais prementes, não prenuncia nenhuma espécie de êxito seguro e rápido.

Tal circunstância indica, de ângulo inteiramente positivo, que a transformação do sistema educacional de um povo em fator de desenvolvimento depende, de modo direto, da intensidade, do volume e da direção das esperanças coletivas, depositadas na educação sistemática".

FLORESTAN FERNANDES. Ensaios de sociologia geral e aplicada. 2ª ed. São Paulo: Pioneira, 1971. ( p. 198).


Clique aqui para saber mais sobre Florestan Fernandes.

12 de outubro de 2011

Sociologia II: A contribuição marxista de Florestan Fernandes


Prezad@s,

Como texto complementar da aula de amanhã de Sociologia da Educação II, sobre "A contribuição marxista de Florestan Fernandes" ao pensamento educacional brasileiro, sugiro a leitura do meu livro "Florestan Fernandes", um dos volumes da Coleção Educadores, editada pelo MEC em parceria com a UNESCO e a Fundação Joaquim Nabuco.

Ele está disponível no site Domínio Público.

Forte abraço,

Marcos Marques de Oliveira

Educação do Campo: Textos para os Seminários

Prezad@s,

No link da Revista Marco Social V. 12 (nº 1, julho 2010), dedicada ao tema "Educação do Campo", editada por mim e publicada pelo Instituto Souza Cruz, estão os seguintes artigos:

- ALVES, Gilberto Luiz. Tendências da educação no campo. Marco Social, vol. 12, nº 1, julho 2010. (pp. 16-19).

- MUNARIM, Antonio. O cenário de construção de uma política pública de Educação do Campo. Marco Social, vol. 12, nº 1, julho 2010. (pp. 08-13).

- ARROYO, Miguel. Educação do Campo: movimentos sociais e formação docente. Marco Social, vol. 12, nº 1, julho 2010. (pp. 12-15).

Já o meu artigo "Jovens rurais em movimentos de alternância: aproximações gramscianas", foi publicado em duas versões.


Uma está no livro Gramsci e os movimentos populares. E a mais recente (veja link acima) no site do XXVIII Congresso Internacional da Associação Latino-Americana de Sociologia, realizado de 6 a 11 de setembro de 2011, na UFPE, em Recife-PE, e apresentado no Grupo de Trabalho "Educação e Desigualdade Social" (GT 25).

Por fim, nesse link pode ser encontrado o meu artigo "A educação que nasce da luta pela terra" (Marco Social, vol. 07, agosto 2005, pp. 52 - 57), que trata da Escola Nacional Florestan Fernandes, uma iniciativa do MST (Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Att. Marcos Marques

Sociologia I: Reforma religiosa na Idade Média


Prezad@s,

Para ajudar nas questões solicitadas a partir do filme "Lutero", segue link para o episódio do Novo Telecurso sobre a "Reforma religiosa na Idade Média".

Outro episódio interessante é a Aula 25, sobre o "Estado e Igreja na aventura colonizadora", que aborda a questão do ensino no Brasil durante o período Colonial.

Por fim, indico um texto de minha autoria, "As Origens da Educação no Brasil: da hegemonia católica às primeiras tentativas de organização do ensino", publicado na Revista Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas Educacionais (v. 12, n. 45, pp. 945-958, out/dez, 2004).

Att. Marcos Marques

10 de outubro de 2011

Seminário Internacional sobre Sociologia e Esperança

Prezad@s,

O Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo promove, de 18 a 20 de outubro, o Seminário Internacional sobre Sociologia e Esperança. A conferência de abertura será proferida pelo professor Peter Burke, da Universidade de Cambridge, com o tema "Tem a Esperança uma História?". O seminário traz ainda professores da Universidade de Lisboa e da USP.

O acesso será gratuito, com tradução simultânea, e não há necessidade de inscrição. Não haverá fornecimento de atestado de presença ou certificado de participação. Os interessados em ver e ouvir as conferências e acompanhar os debates à distância poderão fazê-lo pela internet, em tempo real, pois serão transmitidos on-line por iptv.usp. Devem solicitar-me, por e-mail, o link de acesso até o dia 14 de outubro, às 17 h. A solicitação do link deve ser enviada ao e-mail josemart@usp.br.

Att. Marcos Marques

4 de outubro de 2011

A educação rural brasileira: diagnóstico e perspectivas

Prezad@s,

Segue o link de um dos textos da próxima aula ("A educação rural brasileira: diagnóstico e perspectivas") da disciplina de Educação do Campo:

A dupla dicotomia do ensino agrícola no Brasil (1930-1960)
Autora: Sônia Regina de Mendonça.


Boa leitura!

Att. Marcos Marques

Capitalismo: a gênese de um sistema social

Prezad@s,

Segue, como combinado, a apresentação do Tópico 2 da nossa disciplina de Sociologia da Educação I, do Curso de Pedagogia do IEAR/UFF, oferecida nesse segundo semestre de 2011.




Para acessar, clique no título ou aqui.

3 de outubro de 2011

A Era Vargas - Subsídios para os debates




Prezad@s,

Segue, no título, link para o acervo histórico do CPDOC-FGV (Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getúlio Vargas) sobre momentos importantes da formação de nossa nação - com destaque, no nosso caso (nas disciplinas de Sociologia da Educação II e Educação do Campo), para o período da chamada "Era Vargas" (1930-1945).

E aproveito para matar saudades do tempo em que fui bolsista de Iniciação Científica, nessa mais que relevante instituição da pesquisa histórica brasileira.

Abs, Marcos Marques