_________________________

"Sem dúvida, a Sociologia não valeria uma hora de trabalho... se não fosse para se atribuir a tarefa de restaurar às pessoas o significado de sua própria ação". [Pierre Bourdieu]
_________________________

16 de março de 2010

As bases sociológicas da educação: a história de uma ciência...

Olá, Amig@s!

Apresentamos, pois, na aula de ontém (15/03), o convite que nos faz Alain Touraine ("Prefácio: ser sociólogo") para a apreciação da relação entre Educação e Sociedade:

"Adotar uma atitude sociológica em ruptura crítica com as categorias da ordem social, as ideologias e as pressões dos poderes, para descobrir como as sociedades se constituem e transformam" (Em defesa da Sociologia. RJ: Zahar, 1976. Pág. 9).

Vimos que a "resistência" à disciplina respectiva deve-se:

1) ao "nosso" apego a crença de que os fatos sociais são, inusualmente, dirigidos por uma ordem metassocial;

2) a tentativa perene dos detentores do poder em legitimar sua posição dominante justamente no tipo de crença acima citado.

Daí, sua proibição, ignorância ou utilização estreita em diversos tipos de sociedade.

Delimitamos, assim, que na opinião de Touraine a grande contribuição da análise sociológica, buscando "controlar" o ponto de vista dos atores (inclusive o do próprio sociólogo) é se postar como um antítodo contra a alienação a partir do que podemos denominar de "militância do conhecimento".

Fazer, pois, aparecer a "verdade" dos fatos sociais na perspectiva de criação condições democráticas, na linha que já apontamos com Bourdieu (citado nesse site).

Concluimos sobre o tema proposto com as reflexões de Karl Mannheim (Introdução à Sociologia da Educação. SP: Cultrix, 1974) sobre a contribuição da Sociologia para a formação do educador e, por fim, com uma breve apresentação da história dessa disciplina e de seu princípio-mor: do desvelamentos dos fenômenos sociais, na linha já apontada por Karl Marx, de que se a essência se confundisse com a aparência não precisaríamos de ciência.

Vale, ao fim, a indicação da analogia da reflexão de Anthony Giddens (Sociologia. POA: Artmed, 2005) sobre o que está por trás do ato banal de tomarmos café com a poesia de Ferreira Gullar sobre "O Açúcar" - que estou indicando ao nosso professor André para trabalhar com vocês em "Estudos Dirigidos".

E, não esqueçamos, semana que vem tem mais:

Aula 3: "Educação, saber e produção na sociedade capitalista: liberalismo e marxismo".

Como subsídio, indicamos a leitura do "Manifesto Comunista", de Engels e Marx.

Abs, Marcos Marques

Nenhum comentário: